Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 


Apresentação

08.02.17

A minha professora disse que a primeira redacção era de apresentação e que nós tínhamos de dizer quem somos sem usar palavras feias como aquelas que o primeiro senhor no mundo que é mãe foi obrigado a riscar e que eram as únicas que eu entendi quando fui buscar o giz à gaveta da senhora professora e encontrei o livro lá escondido debaixo da sandes com um bocado de fiambre a marcar a página onde estava a puta que o senhor que é mãe mas que também é um homem escreveu nem eu sei porquê porque até tinha uma capa muito linda e falava do nosso reino que a minha catequista diz que é o reino do Senhor e que Ele é bom portanto não era preciso fazer queixa ao senhor padre que mandou logo a dona Arminda ao armário da Junta ver se lá havia o livro mas a D. Arminda não o encontrou e até teve de guardar a gasolina porque o armário estava fechado com um aloquete por causa dos malandros que andam a rebentar com tudo só porque são como os sanguinários que são uns homens que chupam o sangue dos bois coitadinhos que ficam tão mirrados que até um senhor chamado Zeca Afonso lhes fez uma canção que a D. Arminda diz que é uma falta de respeito pelas pessoas que só usam plásticos dos bons que não são dos chineses e que são fabricados na América por um senhor chamado Trump dono da fábrica de trumparueres que a minha prima Idalina comprou a uma senhora que fez uma reunião lá em casa mas que deu para o torto porque o meu primo Zeca apareceu e pensava que aquilo era a reforma agrária que vinha outra vez por ali fora e começou aos gritos a dizer que corria tudo à sacholada que estava farto de velhas a impingir merdas o que até foi muito injusto porque a senhora dos trumparueres tinha cinquenta anos mais pró mais mas se tirasse o bigode ninguém lhe dava mais de cinquenta e os plásticos eram bons que a minha prima Idalina comprou dois que até foram muito baratos porque ela disse que lhe custaram o cu e as calças e que ela agora guarda na estante da sala para não estragar e até parece estrangeiro como o senhor actor português que tem uma voz que parece a gente quando está na sanita muito presa dos intestinos e faz força chamado Joaquim de Almeida até sair um clone que é uma coisa que dá nas ovelhas que ficam à espera a provocar as porcas que o meu tio lhes ache piada e depois vai-se a elas que nem as meias tira porque se tirar as meias antes do fim do mês não pode depois fazer queijo da Serra que é uma coisa muito boa e que os estrangeiros gostam metida nos bolinhos de bacalhau que por acaso até me mete nojo os dois cheiros juntos mas cada um sabe da sua vida e eu nem sei o que será da minha vida porque a minha professora anda aqui a deitar um olho e já me disse que vou levar duas chapadas que nem sei de que terra sou se não acabo esta linda redacção em condições por isso é melhor dizer que a minha mãe chama-se Maria Prazeres dos Santos e o meu pai chama-se Serafim dos Dias e eu sou o Gui dos Santos Dias eu gosto muito de apresentações. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Gaffe